Covid 19

Unale vai enviar correspondência à Anvisa e acata sugestão de Angelo Almeida de entrar com ação no STF a favor da Sputinik V

A União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale) vai enviar uma correspondência à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e está avaliando a possibilidade legal de mover ação no Supremo Tribunal Federal (STF) a favor do uso da Sputinik V no Brasil, conforme sugerido pelo deputado Angelo Almeida (PSB-BA). A informação foi dada pelo presidente da Comissão Nacional de Acompanhamento da Vacinação (Conav), deputado Rodrigo Delmasso (Republicanos-DF), em reunião online nesta quarta-feira (7). O evento contou com a participação de Rogério Rosso, diretor de Negócios Internacionais da União Química, que é laboratório credenciado pelo governo russo para produzir a Sputinik V no Brasil.

O debate aconteceu em torno do rigor da Anvisa para liberação da vacina russa, mesmo com 91,6% de eficácia, o uso já autorizado em 58 países e a gravidade da pandemia no Brasil, que já chega a vitimar mais de quatro mil pessoas em um dia. Entre os defensores da intervenção da Unale, o deputado Angelo, que é membro da Conav, relatou a indignação com a postura da Anvisa. “Durmo e acordo indignado com procedimentos que a Anvisa tem tomado. Questiono quais intervenções possam estar acontecendo. Essa pandemia vai passar, mas muita gente ainda vai ter que pagar por negligência no nosso país”, desabafou.

Rogério Rosso

Rosso informou que a União Química, que pretende produzir e distribuir a vacina russa no Brasil, já enviou 16 mil documentos para a Anvisa e não foram suficientes. “A régua regulatória da Anvisa é fortíssima e assim tem que ser, mas não em uma pandemia, um cenário de guerra, e é isso que os governadores perceberam”, relatou ao se referir a iniciativa dos chefes de estados que estão pressionando pela liberação da Sputinik V; entre eles o governador da Bahia, Rui Costa (PT).

O diretor da União Química também informou que o laboratório já produziu o primeiro lote da vacina 100% nacional e enviou para a Rússia, para que seja feita a compatibilidade com a que está sendo produzida lá e, a partir disso, seja emitido um documento que será remetido à Anvisa, para autorizar a produção em escala. “A gente vai conseguir, se Deus quiser, 8 milhões de doses da vacina por mês e, por questão lógica, disponibilizar para o Programa Nacional de Vacinação”, projetou. E alertou sobre a importância da produção nacional do imunizante, já que com as novas variantes é possível que seja necessário imunizar a população a cada seis meses.

Por fim, o deputado Rodrigo Delmasso afirmou que a Unale também vai tomar medidas para que a vacinação seja ampliada no Brasil o quanto antes. “Vamos fazer uma correspondência à Anvisa em nome de todos os deputados estaduais, com a recomendação para autorizar estados e municípios a fazerem cotação da vacina, aproveitando certificados de outras agências reguladores do mundo. Também vamos verificar a possibilidade de entrar com uma ação no STF”, concluiu.

Qual sua reação?

Massa!
0
Bacana
0
Curti
0
Ouch!
0
Credo!
0

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

More in:Covid 19