Destaque

Frente Parlamentar da Juventude realiza primeira reunião do conselho consultivo na ALBA 

Criação de ouvidoria e Prouni Estadual, além de políticas específicas para juventude LGBTQIA+ e mulheres, foram algumas das propostas apresentadas. 
A Frente Parlamentar em Defesa das Políticas Públicas para a Juventude do Estado da Bahia, presidida pelo deputado estadual Angelo Almeida (PSB), na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), realizou, nesta segunda-feira (23), a primeira reunião do Conselho Consultivo do colegiado. O objetivo é levar para a casa legislativa pautas apresentadas pelos movimentos sociais de juventude e de entidades estudantis, para uma discussão junto com os parlamentares e representações do poder público estadual.
Foram abordados durante o encontro temas como o racismo e genocídio da juventude negra, diversidade, com a defesa de políticas para as pessoas LGBTQIAP+ e mulheres, oportunidades e garantias de direitos para jovens que cumpriram medida protetiva e fomento ao trabalho no campo.
Entre os principais encaminhamentos, resultado deste primeiro encontro, estão a elaboração de uma Carta Aberta da Juventude, implantação de uma ouvidoria, proposição para um Prouni Estadual na Bahia, criação de um Centro de Referência de Juventude, cota no programa Primeiro Emprego para pessoas trans e jovens que cumpriram medida socioeducativa, análise das Políticas Públicas da Juventude vigentes no Estado e criação de novas PPJ de acordo com as demandas atuais.
“Precisamos fazer alguma coisa. Não podemos ficar de braços cruzados vendo a violência que mata os nossos jovens, principalmente homens pretos de periferia. Temos que proteger nossos e nossas jovens, dar oportunidades, expectativa e qualidade de vida”, defende Angelo.
Travesti do bairro de Cajazeiras, em Salvador, Yamminah Nala, foi eleita recentemente dirigente nacional da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES). Presente na reunião, Nala defendeu uma nova formatação das escolas, mais preparadas para promover a inclusão de todos os corpos.
“Eu vejo as escolas como espaço de socialização, um lugar de transformação social e institucional. Estou pautando a inclusão e permanência de corpos como os meus, corpos diferentes dos meus, nas escolas públicas. Na escola a gente aprende a respeitar e a ser respeitado. Estou lutando para que pessoas trans e travestis não tenham só as esquinas como maneira de capitalização, a gente está falando sobre possibilidades de escolha, sobre representatividade, sobre entender que o seu corpo tem o direito de estar ocupando locais de poder”, disse Nala.
Também estiveram presentes, o superintendente da SUTRAG, Yulo Oiticica (ex-presidente da Frente Parlamentar da Juventude na ALBA); o presidente da Juventude Socialista da Bahia (JSB), Luisinho; o presidente da FAFER-Ba, Fidel Marx; representantes da juventude do Bairro da Paz, Matheus Neres e Marcos Davi; Vitória Fernanda e Clara Conceição, da Juventude Baobá, coordenador-geral do Movimento Negro Unificado, Silas Félix; Helder Bomfim, do Levante Popular da Juventude; e Onã Rudá, ativista LBTQIAP+.

Qual sua reação?

Massa!
0
Bacana
0
Curti
0
Ouch!
0
Credo!
0

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

More in:Destaque