ALBA concede honraria ao comandante do 12º BPM de Camaçari


 O comandante do 12º Batalhão da Polícia Militar (BPM) de Camaçari, tenente-coronel Carlos Henrique Ferreira Melo, foi homenageado nesta sexta-feira (02) com a Comenda 2 de Julho, a mais importante honraria concedida pela Assembleia Legislativa da Bahia. Proposta pelo deputado estadual Angelo Almeida (PSB), a homenagem é destinada aos que se destacam no cenário político e administrativo da Bahia e do Brasil e foi recebida pelo homenageado como “um reconhecimento” ao serviço prestado por toda a corporação, incluindo “todas as equipes com quem já trabalhei ao longo desses 31 anos de Polícia Militar”. Para o deputado proponente da Comenda, Henrique Melo é “uma referência dentro da PM”, constatação a que Ângelo Almeida chegou após extensa “pesquisa real” das ações e programas desenvolvidos pelo militar.
 
Em seu discurso de saudação ao homenageado, o parlamentar destacou a “longa e vitoriosa” carreira de Henrique Melo e avançou na análise sobre os investimentos que o governo do Estado tem feito na segurança pública. Esta política, garantiu, “vem desde o governo Wagner, que valorizou os policiais inclusive com a implantação do Plano de Cargos e Salários da categoria” e se estendeu a Rui Costa, “que tem feito investimento forte na área da ciência e tecnologia” voltada à segurança pública. Isso (a ciência e a tecnologia) é considerado pelo parlamentar “o terceiro olho” dos policiais.
 
 
Injustiça 
Na análise do homenageado, entretanto, falta política de segurança pública no Brasil que contemple todas as áreas capazes de solucionar o problema da violência, como “urbanização, educação, emprego”. “A polícia trabalha na consequência e o governo tem que trabalhar na causa”, aponta o militar, para quem não há continuidade nos programas e políticas do setor. “Há locais”, diz Henrique Melo, “onde tudo o que há é a presença da polícia militar”, que “não tem nem como ofertar o que a população pede”. E cita como exemplo um suposto caso de problemas psicológicos com algum jovem. “A PM é chamada e tem que resolver e encaminhar esse jovem para algum lugar”. Para onde?
 
“Não adianta combater a consequência, tem-se que combater a causa”, reafirma o militar, para quem chega até a ser injusta a cobrança que se faz sobre a polícia, se os demais setores e instâncias do Governo não agem. Até porque, adianta, a PM “trabalha com tudo o que a sociedade não quer ver: com a fome, com a pobreza, com a miséria”. Irmão do homenageado, o também coronel Antônio Jorge Ferreira Melo tem opinião semelhante. Para ele, a situação de violência hoje no Brasil é “grave e complexa”, que exige a adoção de uma política macro de segurança pública que envolva todas as instâncias de Governo “. A intervenção pontual é necessária, mas não suficiente, diz, analisando que o que se vive hoje é consequência da crise “ética, política, econômica” que atinge o país.
 
Ainda assim a Polícia Militar “trabalha diuturnamente para garantir a segurança da população, ainda que arriscando a própria vida”, lembra Henrique Melo. Assim como o Corpo de Bombeiros. Segundo seu comandante, Francisco Teles, a instituição está bem na Bahia e conta com o apoio do governo do Estado e da Alba, que aprovou a “legislação mais moderna do Brasil, a de Incêndio, Pânico e Emergência e o fundo para reequipamento do CB”. Com isso a instituição avançou e acaba de “agregar mais 100 veículos”. Hoje com efetivo de 2,3 mil homens, o Corpo de Bombeiros terá mais 750 estudantes e 38 novos cadetes até o final do mês e se mantém “há 17 anos como a instituição de maior credibilidade junto à população”.
 
Elogiando a atitude da Alba de conceder a Comenda ao tenente-coronel Henrique Melo, o comandante do Corpo de Bombeiros salientou que a instituição que comanda atingiu 98% de aprovação em recente pesquisa realizada pela ouvidoria do Estado em relação ao Carnaval. Neste período, o Corpo de Bombeiros realizou 899 atendimentos. “Foram 899 pessoas que tiveram suas vidas preservadas durante o Carnaval”, disse Francisco Teles, lembrando que ano passado o Corpo de Bombeiros registrou 20 mil ocorrências. “Estamos bem”, disse.
É o que também acha o deputado Ângelo Almeida quanto aos investimentos do governo do Estado na área da segurança pública, em especial, frisa, no setor da ciência e tecnologia. O parlamentar, que dedicou seu mandato a homenagear a PM através de Henrique Melo; a Cultura, através de César Romero; e a Educação, concedendo a Comenda à primeira mulher a ser reitora da Universidade Federal, Eliane Azevedo, analisa que a situação de violência vivida hoje “é fruto de um processo histórico de negação da educação”. Mas quando verifica “os avanços do governo Rui Costa a serviço do povo” conclui que “estamos num caminho bom. Muito bom!”. 
História 
Com 30 anos de serviço na corporação, coronel Henrique Melo foi comandante da 39º Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM) na Boca do Rio, em Salvador, e também comandou o Batalhão Especializado em Policiamento de Eventos (BEPE), unidade responsável pela segurança nas Copas das Confederações e do Mundo, além de ser o representante da Polícia Militar da Bahia no comitê gestor FIFA Copa 2014. O oficial é bacharel em Administração e mestre em Segurança Pública, Justiça e Cidadania, ambos pela Universidade Federal da Bahia, e tem diversos outros cursos de especialização.
 
O proponente da honraria, deputado Angelo Almeida, destacou que a entrega da Comenda Dois de Julho ao tenente-coronel Henrique Melo é “mais do que merecida pelos relevantes serviços prestados à Polícia Militar do Estado da Bahia, por sua conduta ilibada e pela irretocável formação e zelo profissional e, em especial, pela significativa contribuição à segurança pública do povo baiano”. A Comenda foi entregue pelo deputado e pela esposa do homenageado, Helenice Gustavo.
Fonte: Ascom Alba

+ Não há comentários

Escreva o seu