Comunidade surda cobra presença de intérpretes nos órgãos municipais


Durante a sessão solene em homenagem ao Dia Internacional da Pessoa com Deficiência que aconteceu nesta quinta-feira (07), na Câmara de Vereadores de Feira de Santana, a presidente da Associação Mãos que Sonham, Auriceia Moreira, pediu compaixão com a comunidade surda. “A Mãos que Sonham representa a voz das famílias dos surdos. A questão da deficiência não é incapacidade, mas significa que a pessoa precisa de apoio e ajuda para estar em igualdade com os demais”, afirmou.

A presidente anunciou a presença de intérpretes de LIBRAS nos órgãos e repartições públicas como uma das principais reinvindicações da classe. Auriceia sugeriu ainda que a Lingua Brasileira de Sinais fosse universalizada. “Assim como aprendemos inglês, espanhol e outras línguas estrangeiras na escola deveríamos também a LIBRAS”. De acordo com ela, em Feira de Santana existem três mil pessoas surdas.

+ Não há comentários

Escreva o seu