Dia da Beleza Negra ressalta diversidade étnico-racial


“Ou você está vivo e orgulhoso ou está morto”. Com a emblemática citação de Stephen Bantu Biko, ativista anti-apartheid da África do Sul entre os anos de 1960 e 1970, o professor, historiador e atualmente vereador de Salvador pelo PSB, Silvio Humberto Passos, conclamou a população afrodescendente a não parar de lutar pela igualdade, porque “o racismo não tira férias”. Ele foi um dos palestrantes da noite desta quinta-feira (28), na sessão solene comemorativa ao Dia da Beleza Negra, na Câmara Municipal. O deputado estadual Angelo Almeida (PSB), participou do evento que homenageou 42 pessoas indicadas pelo Núcleo Cultural e Educacional Odungê, a exemplo do ex-vereador Marialvo Barreto.

Muito mais do que reverenciar a beleza e homenagear personalidades de destaque no movimento negro em Feira de Santana, a sessão solene foi uma verdadeira aula de história, do Brasil e da África. Silvio Passos falou sobre a importância da potencialidade das pessoas para o desenvolvimento, mas afirmou que “o racismo impede que as pessoas sejam plenas”. Ele lamentou que em um país rico, belo de grande diversidade étnico-racial não se reconheça o outro. “O negro ainda é julgado de forma preconceituosa”, observou.

Genocídio, abolição, desigualdade intolerância foram citações recorrentes durante a noite, em que se discutiu ainda a as frequentes acusações de que o negro se vitimiza. “O negro não teve acesso a políticas públicas, foi marginalizado quando a escravidão foi abolida de forma camuflada e embora o último censo do IBGE aponte que 46% da população brasileira é afrodescendente, inda precisamos de um estatuto”, disse a assistente social Luize Arapiraca Amorim, também palestrante da sessão.

Para Lourdes Santana, presidente do Odungê e do Conselho Municipal das Comunidades Negra e Indígena, a sessão representou, ainda, um momento de reparação. Ela falou das leis criadas pela Casa da Cidadania, mas alertou: “Não adianta criar leis sem dialogar com o movimento negro, ser fantasioso”. A noite foi também de agradecimentos, não somente aos vereadores e deputados estaduais presentes, mas a todos que contribuíram para as conquistas do movimento ao longo da história, em especial a população do Campo Limpo, bairro onde vive.

+ Não há comentários

Escreva o seu